Cresce taxa de trabalho informal no Brasil

IBGE divulga dados sobre a situação do emprego no Brasil durante o segundo trimestre do ano

Por Caroline Svitras | Foto: Shutterstock

No segundo trimestre do ano, o IBGE registrou 5,8 milhões de brasileiros nas categorias de subemprego, ou seja, trabalhos informais, não registrados e com carga inferior às 40 horas semanais exigidas pela CLT. Esse valor representa um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

Apesar do crescimento significativo de vagas preenchidas, o desemprego ainda atinge 26 milhões de brasileiros, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua(PNAD Contínua), do IBGE. Esse número corresponde a 0,3 pontos percentuais a menos que no primeiro trimestre de 2017.

Ainda segundo a pesquisa, o Norte foi a região com maior melhoria na oferta de emprego e redução da taxa de desocupação, enquanto o Sudeste vem em último lugar.