O resultado da delação de Joesley Batista

O depoimento dos irmãos Batista desencadeou uma forte crise política no país e deixou milhões de brasileiros na incerteza sobre o cenário nacional nos próximos meses

Por Caroline Svitras | Foto: Wikimedia\Foreign and Commonwealth Office

O Brasil parou nas últimas semanas diante dos desdobramentos da delação de Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, sobre um vasto esquema de propinas pagas a políticos de todos os escalões. Os irmãos apontaram ter gravações de conversas mantidas com o presidente Michel Temer nas quais ele se mostra ciente da corrupção praticada pela empresa e representantes do governo.

 

O depoimento dos irmãos Batista desencadeou uma forte crise política no país e deixou milhões de brasileiros na incerteza sobre o cenário nacional nos próximos meses. “[Com as delações] emerge o sentimento de que a política brasileira está fadada ao fracasso”, nos conta Luciano Gomes dos Santos – Professor de Antropologia, Filosofia, Psicologia Social e Ciências Sociais da Faculdade Arnaldo. Para Santos “essa crise política não é a primeira ou a última, mas é crise que nos interpela a olharmos no espelho de nossa nação e perceber que é reflexão de nossa base que começou há 500 anos”.

 

Com Michel Temer como principal alvo das denúncias e da investigação homologada por Edson Fachin, a OAB entrou com um de pedido de impeachment contra o presidente. Santos anuncia que, caso a solicitação seja atendida, novas eleições devem ser convocadas. Mas ele adverte que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumirá interinamente o cargo até o novo representante ser escolhido.

 

Michel Temer durante 71ª Assembleia Geral da ONU | Beto Barata/PR

 

“Para evitar crises dessa magnitude no Brasil é fundamental realizar uma reforma política”, diz Santos. Para ele, a transformação da democracia brasileira só vai acontecer quando o povo “assumir sua parcela de corresponsabilidade na instância política”. Ele completa : “a reforma é urgente, mas não deve ser feita pelos políticos. O povo deve se envolver e trabalhar nesta reforma”.

 

Para finalizar, ele reúne algumas sugestões que devem guiar a mudança da estrutura política do país:

  1. Ampla reforma política, extinguindo todos os privilégios da classe política;
  2. Debater o projeto de reforma política com a sociedade de modo geral;
  3. Os partidos políticos não devem receber verba do Estado;
  4. Limitar o número de partidos;
  5. Penalizar as empresas envolvidas com propinas;
  6. Educação e conscientização do povo sobre ética, virtudes e atitudes compatíveis com a norma estabelecidas.