Sociedade de consumo

Entenda o que é a sociedade de consumo e quais suas consequências

Por Vilma Rosa Ramos | Foto: Revista Sociologia | Adaptação web Isis Fonseca

Sociedade de consumo

Sociedade de consumo é um termo usado para designar a fase mais contemporânea do capitalismo, em que o crescimento econômico e a geração de lucro são majoritariamente pautados no consumo.

Para se manter a estrutura, estimula-se o consumo, que alimenta a produção, que gera mais consumo, que gera mais produção… Num ciclo vicioso infinito.
A origem da sociedade de consumo remonta à Revolução Industrial, mas foi com o surgimento do American Way of Life (“jeito americano de viver”), em 1910, nos EUA, que o modelo se intensificou.

A ideia era fazer com que a população americana acreditasse que a felicidade estaria pautada no consumo e que o consumo estaria ao alcance de todos, bastando apenas que as pessoas trabalhassem.

A consequência na época foi uma crise de superprodução das fábricas, que ficaram com um estoque gigantesco sem mercado consumidor capaz de absorvê-lo. As questões econômicas foram resolvidas com o passar dos anos, mas o modelo deixou um legado catastrófico para as gerações seguintes, não apenas nos EUA, mas numa escala global.

Entre os maiores problemas relacionados à sociedade de consumo estão as questões de ordem ambiental. Para abastecer o consumo, as indústrias têm que produzir cada vez mais e, para alimentar essa produção, elas necessitam retirar da natureza os recursos necessários para tal (combustível, água, metais, madeira etc.).

O fato é que essa exploração constante e crescente tem deixado um saldo de devastação profunda e irreversível. Além disto, o próprio modelo de produção industrial utilizado na maior parte do mundo provoca impactos gigantescos no que diz respeito à emissão de poluentes e efluentes contaminados.

Soma-se a isso a quantidade crescente de resíduos sólidos produzidos, tanto pela indústria quanto pelos consumidores, e que, na maior parte do mundo, não recebem tratamento adequado.

Já na década de 1990, os estudos voltados para a relação sociedade-natureza deram um grande salto com as contribuições de um dos mais respeitados e conhecidos sociólogos ambientais do mundo: Frederick Howard Buttel.

Nascido nos Estados Unidos, Buttel dedicou sua vida acadêmica a compreender as complexas relações entre a sociedade e o ambiente natural. Apontava o caráter ambivalente do homem, que seria ao mesmo tempo parte integrante da paisagem natural, submetido às dinâmicas próprias da natureza e, ao mesmo tempo, o homem como agente modificador e criador de novos ambientes.

Leia a matéria na íntegra, adquira sua Revista Sociologia Ciência & Vida Ed. 72!

sociedade-de-consumo

Sociedade de consumo