“Tecido social inclusivo”

Da Redação | Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil | Adaptação web Caroline Svitras

 

Na contramão do que vem sendo feito no Brasil, país de prisões superlotadas e duro efetivo policial, é sob as bases de um sólido trabalho preventivo e socioeducativo que as sociedades de América Latina e Caribe poderão enfrentar o crime e a violência, acreditam especialistas do Banco Mundial, em painel realizado em Washington, no início de fevereiro deste ano.

 

Segundo documento emitido pela organização, é preciso construir um “tecido social mais inclusivo”, com distribuição de renda e igualdade de oportunidades entre a população para combater o problema. Somente com investimentos em polícia e cárceres o cenário não mudará. O trabalho deve se antecipar até mesmo ao nascimento do indivíduo, com um forte acompanhamento da assistência social e saúde pública, além da promoção das condições econômicas e de educação necessárias para o desenvolvimento de cidadãos efetivos. Dados divulgados pela EBC dão conta de que em todo o território latino-americano e no Caribe, pelo menos quatro pessoas são mortas a cada 15 minutos.

 

Revista Sociologia Ciência & Vida Ed. 68